MP confirma reajuste ilegal de 16% na tarifa de água e esgoto, mas mesmo assim Saneago já aplicou o aumento
O Ministério Público de Goiás recomendou que a Saneago não reajuste a tarifa de água e esgoto em 16,07%, alegando que é ilegal. No entanto, a empresa não aceitou a orientação e o aumento já entrou em vigor no início deste mês. A concessionária justificou que o aumento dos custos e a redução dos repasses federais deixou a empresa no vermelho, por isso a necessidade deste novo reajuste.


Para o deputado Bruno Peixoto, a população não pode ser responsabilizada pela má gestão da empresa. “O povo goiano não pode arcar com mais essa conta. A população já sente o aumento do preço da energia e do transporte público e agora esse reajuste abusivo, que vai causar impacto no bolso dos goianos”, afirma.

Para o PMDB, agora é a hora do Ministério Público agir contra o governo. “Espero que o promotor que esteja comandando o inquérito e que fez essa recomendação possa usar todos os rigores da lei para não permitir esse abuso contra a população", ressalta José Nelto.

Essa é a segunda vez que a Saneago reajusta os valores cobrados ao consumidor. Em março, 255 cidades do estado começaram a pagar mais  2,40% pelos serviço de abastecimento de água e esgoto, o que segundo Bruno Peixoto (PMDB), presidente da Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia, é ilegal. " A lei do Saneamento Básico proíbe revisões tarifárias em período inferior a 12 meses".
MAIS NOTÍCIAS
NEWSLETTER
(receba todas nossas notícias)