Bruno Peixoto quer investimentos na CELG e não a venda da companhia


 

A Comissão Mista da Assembleia Legislativa começou a analisar, ontem, o projeto de lei que trata da venda de ações da CELG Distribuição, ou seja, a privatização da CELG D. O deputado estadual Bruno Peixoto (PMDB) e a bancada da oposição pediram vistas da matéria, adiando a votação do projeto. “Não podemos aceitar dilapidar o patrimônio goiano, a CELG é do povo. A empresa ou o consórcio que comprar as ações só vai visar o lucro e a tarifa vai aumentar”, diz Bruno.


O deputado também acredita que o objetivo do governo é aumentar a arrecadação do estado com a venda da CELG D. “O governador não está pensando no povo goiano que necessita da energia de qualidade e com o preço acessível”.


O parlamentar, que também é presidente da Comissão de Obras da Assembleia, afirma que a oposição vai votar contra o projeto da privatização da Companhia. “Não vamos ser coniventes com essa atrocidade. Nós, da oposição, já estamos preparando uma emenda para o projeto para que sejam feitos investimentos na CELG e não que ela seja vendida”. 


Para o deputado, a Companhia precisa de aplicações nas linhas de transmissões de energia, melhorias na qualidade do serviço e uma taxa não abusiva. “A privatização não resolveria estes problemas, mas sim uma boa administração”, conclui.

MAIS NOTÍCIAS
NEWSLETTER
(receba todas nossas notícias)