Contra o aumento na conta de água: Bruno e deputados da oposição irão ao Ministério Público na segunda-feira

Cumprindo o papel de fiscalizar o Executivo, os deputados de oposição se uniram para barrar o aumento exorbitante de 32,13% na tarifa de água. Lideramos pelo vice-prefeito Agenor Mariano (PMDB) e pelo presidente presidente da Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia, Bruno Peixoto (PMDB), o grupo de parlamentares vai ao Ministério Público de Goiás (MP-GO), nesta segunda-feira, 1 de junho, às 14h30, entregar requerimento para que a promotoria de Defesa do Consumidor ajuíze ação contra o aumento de 32,13% na da tarifa de água.

 

O reajuste na tarifa foi aprovado pela Agência Goiana de Regulação (AGR) e já começa a valer à partir do próximo dia 1º de julho. A nova taxa vai ser cobrada na conta que os consumidores receberão em agosto.  Para Bruno Peixoto, o reajuste é inadmissível, pois está muito acima do limite da inflação. “O povo goiano não pode arcar com mais essa conta. A medida irá causar grande impacto no orçamento da população que não tem seus salários reajustados sequer perto de 30%”.

 

O vice-prefeito de Goiânia, Agenor Mariano, alega que a tarifa é ilegal, "pois até o momento não conta com autorização da prefeitura que é a dona da concessão". O líder do PMDB na Casa, deputado José Nelto, diz que a  Saneago deveria reajustar a tarifa no limite da inflação do ano passado, algo em torno de 6,5%, e não em 32%, como a estatal anunciou.

 

Indignados, o grupo da oposição apresentou na sessão da última quinta-feira, requerimento, que foi aprovado, em que pede ao governador Marconi Perillo (PSDB) e ao presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR), Ridoval Chiareloto, a imediata revogação a resolução que autoriza o aumento na tarifa de água e esgoto.

MAIS NOTÍCIAS
NEWSLETTER
(receba todas nossas notícias)