Bruno Peixoto vai ao Ministério Público para tentar impedir o aumento abusivo na conta de água

Os goianos já podem preparar o bolso para mais um reajuste, desta vez na conta de água. A Agência Goiana de Regulação (AGR) autorizou a Saneago a praticar o aumento 32,13% a partir do próximo dia 1º de julho. A nova taxa, bem salgada, vai ser cobrada na conta que os consumidores receberão em agosto.

 

O deputado Bruno Peixoto (PMDB), presidente da Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia, criticou o aumento autorizado pelo governo. Em março deste ano a companhia reajustou em 2,40% o valor dos serviços de saneamento em 225 cidades alegando que iria investir em melhorias na prestação de serviço. E agora anuncia mais uma alta exorbitante? ".


O parlamentar vai ao Ministério Público, pedir que o promotor de Defesa do Consumidor ajuize uma ação para coibir este aumento absurdo e abusivo. "O povo goiano não pode arcar com mais essa conta".

O peemedebista alega que este reajuste é uma traição com o povo goiano e com a Assembleia, já que os deputados votaram, na última semana, a isenção de cobrança do ICMS para a Saneago. “Aprovamos a isenção sob a justificativa de que ela seria benéfica para os cidadãos goianos, mas o governo vem com um aumento desses logo após isentarmos a empresa. Foi uma traição com os goianos, que não aguentam mais tantos aumentos”, afirmou o peemedebista.

O reajuste, segundo a Saneago, se trata de uma revisão tarifária prevista em lei e que deve ser realizada a cada quatro anos e que ela vem para garantir o equilíbrio econômico-financeiro da prestação de serviços. A estatal alega ainda que o valor foi calculado a partir da inflação e outras despesas, como o custo de energia elétrica que em fevereiro subiu mais de 25%. 

 

Para Bruno Peixoto, a Saneago deveria reajustar a tarifa no limite da inflação do ano passado, algo em torno de 6,5%, e não em 32%, como a estatal anunciou. 

MAIS NOTÍCIAS
NEWSLETTER
(receba todas nossas notícias)